Chester Bennington e os heróis trágicos do rock

 

“Espero morrer antes de envelhecer” é um famoso verso da canção “My generation” do The Who.

Paradoxalmente, seus autores estão aí, “velhinhos” e na ativa, prestes a desembarcar no Brasil para tocar pela primeira vez no país.

Por outro lado, temos heróis verdadeiramente trágicos, como Chester Bennington, vocalista do Linkin Park, que tirou a própria vida aos 41 anos.

A coincidência mórbida é que a data escolhida foi justamente o dia do aniversário de seu amigo Chris Cornell, que recentemente tomou atitude semelhante. Cornell tinha 52 anos.

Mas a lista de rockstars suicidas é um pouco mais longa.

Kurt Cobain, Nirvana, 27 anos.

Ian Curtis, Joy Division, 24 anos.

Michael Hutchence, INXS, 37 anos.

Dave Leppard, Chrashdiet, 25 anos.

Estes são apenas alguns casos famosos e confirmados, em meio a tantos outros relacionados ao abuso de drogas que levaram diversos talentos da música a uma morte solitária e precoce.

É difícil compreender porque pessoas talentosas, ricas e famosas chegam a decisão tão extrema.

Alguns desses artistas como Cobain e Bennington sempre demonstraram em suas letras uma visão pouco otimista da vida.

Talvez gritassem por ajuda. Por fazerem isso em público, receberam aplausos que aparentemente não foram suficientes para ajudá-los a superar seus conflitos.

Por outro lado, através de sua música auxiliaram milhões de adolescentes a superar suas próprias frustrações.

Eis o grande perigo. Se não nos cabe o julgamento moral desses artistas, também não podemos romantizá-los. Suicídio jamais pode ser considerado solução.

Por isso, caso esteja passando por um momento difícil, sugiro o exemplo de um outro astro do rock.

Freddie Mercury foi diagnosticado com AIDS quando a doença era uma verdadeira sentença de morte.

Ao invés de se abater, ele gravou uma das mais belas canções de todos os tempos.

“The show must go on” é a última faixa do disco “Innuendo”, o último trabalho do Queen lançado com Freddie ainda vivo.

Entre outras pérolas, traz os versos “Por dentro meu coração está partido, minha maquiagem pode estar se desfazendo, mas meu sorriso continua”.

Celebrem a vida de seus artistas favoritos pelas suas obras, não pelas suas mortes.

A vida é um show e esse show tem sempre que continuar.

Também publicado em Blog Na Mira: Futebol & Rock ‘n’ Roll