COPA SAGRADA DO BRASIL

Tricolor

 

A chegada de Raí à Diretoria de Futebol do São Paulo foi um divisor de águas na administração Leco. Junto com Raí havia a expectativa de termos também, transparência, credibilidade, apoio da torcida e muita esperança em dias diferentes. No entanto, não é bem assim que aparentemente as coisas andam.

Eu não vendo produtos oficiais do clube, não ganho dinheiro para promover jogador e nem frequento camarotes de patrocinadores que (não) critiquei, por isso sou um simples torcedor e escrevo com liberdade de crítica responsável. Dito isso, penso que algo esteja errado dentro do clube e vou elencar algumas incoerências que poderiam ser esclarecidas por Raí & Cia.

Trazer jogadores sem a anuência do técnico.

Esse é um ponto que serve de escudo para Dorival se defender de muitas críticas internas. Pelas declarações do DT, além de não pedir ele também não gostaria de ter Diego Souza e Nenê no elenco. Isso ficou claro na primeira entrevista após ao jogo de estreia da dupla. Entretanto escalou sempre que pôde, ao lado de Cueva. No jogo contra o Bragantino os três foram escalados e sacados.

Muito se fala que Dorival escala pressionado pela Diretoria. Não posso dizer que sim ou não, mas acredito que a subserviência do treinador não deveria chegar a esse ponto. Nenhum diretor vai admitir publicamente uma situação dessas e da mesma forma não servirá de desculpa para o técnico se manter no cargo.

Planejamento para a temporada.

Qual planejamento? Se internamente o SPFC tem metas possíveis de serem alcançadas, na vitrine dos jogos não enxergamos nada. Partindo do pressuposto que existe um tripé formado por Diretoria, Comissão Técnica e Jogadores para garantir o sucesso de um clube na temporada, o que podemos esperar de cada um deles? Que a Diretoria cumpra seus compromissos com os atletas, financeiros e contratuais. Que a Comissão técnica estabeleça um sistema de jogo que torne o elenco, um time. E que os jogadores se comprometam com resultados, entregando o máximo para alcançar as vitórias.

Se o torneio mais importante do ano, a Copa do Brasil, que este ano irá premiar mais de 50 milhões de reais, não for a meta do tricolor, sinceramente não acho que planejaram nada para 2018. Abrir mão do Paulista, do título do Brasileirão, da Sul-Americana para buscar essa Copa inédita me pareceria muito justo e palpável.

Já estamos complicados no Paulistão, dificilmente vamos ter sucesso ali. Jogamos domingo contra a Ferroviária sem dar atenção que na quarta teremos um jogo decisivo (pois todos os jogos da Copa do Brasil são) contra o CRB. O time alagoano é superior à Ferroviária, ao Ituano e podemos nos complicar muito no primeiro jogo, mas a decisão é fora.

Meninos de Cotia

Temos bons jogadores na base, ninguém contesta esse fato. Não são a solução de todos os problemas tricolores, mas estão longe de serem o problema. E essa solução não me parece ser explorada por ninguém. Nem a Diretoria, que vem perdendo garotos para outros times, tendo dificuldade de renovar contratos e que não possui uma fórmula padrão tática, onde o time de base possa jogar nos moldes do principal. E é até engraçado isso, o time principal não sabe qual linha de ônibus pegar, se é a 4231, a 4141, a 433, a 442 ou a polêmica linha inventada pelo Dorival, a 460

Se a contratação/manutenção de Dorival Junior passa pela base, não vejo planejamento nas contratações feitas sem aval do treinador. A utilização das promessas mescladas à experiência de jogadores consagrados, fórmula santista, deveria requerer características reveladas pelo treinador na chegada desses jogadores. Coisa que não vemos.

Pretensões de Raí

O comprometimento de nosso ídolo agora está a prova. Como disse no começo, não frequento os camarotes de patrocinadores, nem o CT da Barra Funda para poder dizer algo confiável. Mas posso dizer como quem acompanha os resultados do time, que o sucesso do SPFC em 2018 depende desse comprometimento. Caso Raí tenha planos de crescer como dirigente de futebol, se alce a Presidência do Clube em 2020, não tenho dúvidas que ele tenha resposta para as três questões anteriores. No entanto se essa situação seja apenas uma fase transitória em sua vida, amigos estamos com problemas sérios e brigaremos mais uma vez para não cair esse ano.

Torço muito para nossa rápida recuperação, que ocorra dentro de um planejamento estratégico, inteligente e vencedor capitaneado por Raí & Cia. Vamos esperar o jogo de quarta para entendermos melhor o que se passa.

Boa semana a todos

Menos ao Marquinhos Cipriano.