JARDINE É A BOLA DA VEZ

Blog Tricolor

Jardine é a bola da vez

 

Torcedor Tricolor on The Rock

 

Mais um técnico, mais uma demissão, desgastado pela péssima campanha do segundo turno, onde o time conseguiu apenas três vitórias e após cair para o quinto lugar depois de um futebol horroroso praticado contra o Corinthians, Diego Aguirre foi demitido do comando técnico do tricolor. Uma demissão muito tardia a meu ver, pois já não conseguia tirar do elenco o futebol que todo torcedor tricolor esperava.

 

Com muitos problemas no vestiário, onde Nenê não aceitou a reserva e fez questão de demonstrar isso na comemoração do gol de empate contra o Corinthians e Rodrigo Caio demonstrando sua insatisfação em não ser aproveitado. O São Paulo chegou ao fundo do poço no Brasileirão e recorre ao auxiliar técnico André Jardine para terminar a sequência de cinco jogos que ainda restam no Brasileirão.

 

 

Jardine tem um talento inegável em revelar jogadores e David Neres, Luiz Araújo, Luan, Toró, Paulinho Boia, e Helinho, são só alguns exemplos que passaram pelas mãos do atual técnico tricolor, um técnico multi campeão na base. O fato de ser multi campeão e muito competente no que fez na base não quer dizer que vai ser competente no que faz no time profissional.

 

Sim, o time irá jogar melhor nestas cinco partidas que no segundo turno inteiro, claro que Jardine terá uma tarefa homérica, pois terá que unir o rachado grupo tricolor em torno de um objetivo, que é o de se classificar para a fase de grupo da Libertadores, sem precisar passar pela tensa pré-libertadores.

 

Muito pouco pra um time que demonstrou ser tão promissor no começo do turno. Já há notícias desencontradas que se Jardine se classificasse iria prosseguir no comando técnico tricolor para 2019, não acho que no momento Jardine é o nome ideal para isso. É vital que se contrate um técnico vencedor de verdade para a temporada, não consigo pensar numa aposta para um time que não ganha nada de relevante há 10 anos.

 

É necessário sim que o São Paulo pague salários altos a técnicos considerados “tops” e não há outro caminho para isso, além de um técnico “top”, o tricolor precisa de alguns profissionais qualificados na sua comissão técnica. Um preparador físico decente, já que o de Aguirre arrebentou com a preparação física do time, um bom preparador de goleiros, já que o que vimos nesta temporada foi uma sequência lamentável de falhas de Sidão e até mesmo de Jean, um novo médico que faça com que contusões como a de Everton sejam tratadas e não seja nunca precipitada a sua volta.

 

Voltando a falar de Jardine, o técnico tem como característica a prática de um futebol intenso, vibrante e sempre para frente em todas as partidas em que comandou o time sub-20 da equipe do Morumbi, logo o futebol medroso, previsível e ruim da equipe de Aguirre deixará de existir. Resta ao torcedor apoiar a equipe e quanto a alguns jogadores que tumultuaram o ambiente, no fim do ano resta o caminho da saída. O São Paulo não pode ser refém de nenhum jogador mimado e com um ego acima do clube. Que Raí saiba bem quem prejudicou e quem ajudou o São Paulo nesta temporada.

 

Força Jardine que você possa estar inspirado e levar este elenco a se classificar diretamente a fase de grupos da Libertadores. Será uma conquista num ano tão confuso como mais uma vez foi o ano tricolor, depois é necessário um exame detalhado do elenco e das situações do time, para que erros como os que foram cometidos neste ano não se repitam.

 

Grande abraço a todos

Até a semana que vem

 

Siga-me nas redes sociais:
Twitter: @fernandocruz37
Instagram: fercione