O GRITO DA ARQUIBANCADA!

Queridos,

“Tem sujeira pra todo lado

Ninguém respeita a constituição

Mas todos acreditam no futuro da nação”

Renato Russo como não amar? Quando se fala de politica indiferente que seja no São Paulo ou não. Não é muito diferente do que se vê por ai! Os candidatos se tornam santos, a variadas acusações das partes concorrentes, diretores divididos e sujeira saindo de todos os lados. O que quero defender aqui é o amor do torcedor comum, aquele que veste a camiseta do São Paulo com orgulho, paga seu sócio torcedor com fidelidade, esse mesmo que enfrenta horas no transito, aquele que come churrasco na beira do estádio, aquele que grita “Ó Tricolor eu te amo demais”. A voz que grita na arquibancada!

Não um diretor executivo que se esconde em um camarote, ou um conselheiro rival que aos domingos veste outra camisa e declara seu amor à outra torcida.

Sim… É com clubismo sim! Que defendo meu time de diretores formados por outros torcedores. Queremos sim, uma diretoria formada acima de tudo com o CLUBISMO SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE.

Sim, podemos ser tachados como torcedores comuns. E daí? Somos aquele que torce do sofá, na arquibancada, envolta do estádio ou num barzinho qualquer. Não importa o lugar, aqui o que vale é amar este time, esse escudo. E se alguém disser torcedor comum? Não acredite QUE isso é um status, um nome que não combina com você tricolor. Não importa de onde torce, quê distância ou a falta de oportunidade de estar no estádio, o amor não diminui por ficar no sofá, entendo é confortável, ainda mais com a família ao lado, o que sei é que seu amor não é menor do que aquele que frequenta o estádio, aqui não existe essa lei. Por isso deixo bem claro você é a voz da arquibancada, mas quero manifestar também se tiver oportunidade vá ao estádio incentive o time, somos aquele que grita e empurra o clube, que brigamos até mesmo com a televisão quando o time não vai bem. Contribuímos de formas diferentes, mas com o mesmo amor pela evolução do São Paulo. Somos conhecidos por não aceitar criticas ao nosso time, porque quem critica somos nós. No meio dessa torcida denominada nação se encontra de tudo, tem aquele pai de família que enfrenta dificuldades e mesmo assim contribui com o sócio torcedor, mesmo sabendo a falta que vai fazer no final do mês, mas que sua paixão pelo São Paulo dita as regras e está acima de tudo. Aqui também tem aquele que não se importa em pagar muito e nem aparecer ao estádio, mas que na hora da briga chega de voadora na sociedade e defende seu clube amado. Somos  aquele torcedor que se tornou uma nação apaixonada pelo time Tri Campeão Mundial. Somos conhecidos mundialmente. Somos a nação que quer um São Paulo limpo e transparente.

Somos aquela voz que está na arquibancada faça sol ou chuva, frio ou calor, gritando e apoiando o time, amando incondicionalmente, enfrentando horas no metrô, perdendo ônibus no final de uma partida mal sucedida para voltar para casa, e mesmo assim estamos mais uma vez na próxima partida felizes como nunca, gritando, cantando e apoiando o time em campo, porque não existe amor mais transparente que esse do torcedor.  E é essa voz apaixonada que grita a mesma voz que canta e chora quando o time não vai bem, é essa voz que merece sim ser respeitada, é essa voz que merece ser escutada.

Porque em época de politica a voz da arquibancada não pode ser escutada? Porque torcedores comuns não merece terem sua voz ouvida? Vale mais o valor de contribuição ou o amor declarado por esse time? Está na hora de um São Paulo inovador que escuta também a voz do torcedor! Mas, uma vez defendo o clubismo sim dentro da diretoria. Sim, esse amor precisa ter peso, assim como o peso dessa camisa que entorta varal.

Por uma gestão que escute a voz que vem da arquibancada.

Abraços

Colunista convidado: @BeteDorta