OPINIÃO: BINACIONAL 2X1 SÃO PAULO

Blog Tricolor

Torcedor tricolor on the rock

 

Sofrendo com a altitude desumana e mostrando um desconhecimento dos efeitos da altitude de 3800 metros, o São Paulo perdeu para o Binacional em Juliaca no Peru na estreia da Libertadores.O time que apesar das vitórias no Campeonato Paulista, vinha sofrendo com os adversários mais fracos pois tomava bolas nas costas de seus laterais, obrigando o goleiro Thiago Volpi a realizar milagres.

Fernando Diniz manteve o mesmo esquema tático do Campeonato Paulista, subestimando o adversário e não realizando uma preparação e planejamento de jogo adequada a altitude, o ar rarefeito da altitude de Juliaca era perfeito para o time realizar arremessos de longe, mas isso não aconteceu, a insistente chegada ao ataque matou o físico do time no segundo tempo. Pato abriu a contagem, aliás só Pato tem sido efetivo e decisivo no ataque tricolor, já Pablo ontem demonstrou o quanto é limitado tecnicamente perdendo dois gols inacreditáveis na área e mantê-lo titular é um erro do técnico, além de Antony, supervalorizado e já vendido não saber chutar em gol.

Na altitude o time do Morumbi deveria tocar a bola e segurar o jogo realizando um trabalho de adaptação a altitude maior, nas partidas contra os fracos adversários do Paulista, sem dúvida os reservas deveriam ser escalados, poupando os titulares para a estréia não fazendo o menor sentido de serem escalados. O problema de perda de gols já vem desde o Campeonato Paulista onde o São Paulo cria e não consegue finalizar a gol.

Para um esquema bom e de resultados já que a proposta de ataque de Diniz é até interessante, numa altitude é preciso dosar se defendendo é isso o São Paulo não faz. Ao atacar, cansar de perder gols, o São Paulo pagou um preço alto que já tinha alertado em minhas redes sociais, perder gols na cara do adversário poderia ser fatal.

O esquema de Diniz deixa a defesa bastante exposta e os gols saíram nas costas dos laterais tricolores já que ambos apoiam demais e não tem cobertura do meio campo. Juanfran  fez uma imensa falta ao time e em contra-ataque, pois saberia dosar as descidas da defesa, o São Paulo morto fisicamente tomou dois gols do fraquíssimo Binacional  na falha de Bruno Alves e Arboleda, Rodriguez, o mais perigoso da equipe, chutou no meio das pernas de Thiago Volpi empatando a partida.

Colocando Liziero na equipe, Marcio Araujo fez uma alteração que não faz o menor sentido substituindo Pablo, Liziero não era propriamente um jogador de velocidade, a escalação ideal era ter  Luan na volancia, protegendo a exposta defesa tricolor com Tchê Tchê, colocando Dani Alves e até mesmo Hernanes mais a frente e a exposta defesa tomou o segundo tricolor, num contra ataque onde Arango virou o placar, dando números finais ao placar.

Erro de planejamento para a partida, onde apesar da condição física da equipe estar melhor o time sofreu com a altitude e faltou atitude ao elenco para segurar o resultado, falta de rodagem do elenco da parte de Diniz onde fazia muito mais sentido  ter escalado outros jogadores como: Brenner e até mesmo Trellez  no fraco confronto contra a Ponte Preta. O agravante foi a derrota do River Plate contra a LDU por 3×0, tornando a partida da próxima quarta-feira contra a LDU, o jogo do ano para o São Paulo, se perder, o São Paulo terá extremamente dificultada a sua saga em permanecer na Libertadores 2020. A obrigação de Fernando Diniz é colocar os reservas contra o Botafogo, preparando o time para a decisão da próxima quarta contra a LDU.

Saudações tricolores

 

Grande abraço a todos!

Até a semana que vem!

 

Siga-me nas redes sociais

 

Twitter: @fernandocruz37

Instagram: fercione