QUINTA TEM SÃO PAULO. E ADIVINHA? EM MAIS UM MATA-MATA…

 

Aguirre chega ao seu sexto jogo pelo Tricolor e todos jogos eliminatórios. Todos sabemos a loucura que é ano de copa para o calendário, então isso nem causa tanto espanto, porém, o time precisa reagir as derrotas, mas o tempo é curto e a pressa por resultados é enorme.

O São Paulo teve mais uma derrota traumática, com requintes de crueldade contra um rival em uma semifinal de Paulistão. Mas, diferentemente de outras eliminações, o time de Aguirre vendeu muito caro a derrota, e por uma daquelas coisas que só acontecem em período de seca, não levamos a classificação. Na partida seguinte, o time foi demasiadamente defensivo, e depois de duas falhas individuais da defesa, mais uma derrota na Arena da Baixada.

Sem tempo para muita lamentação, o time precisa mudar o foco e ir para a Argentina enfrentar o perigoso Rosário Central. Ao time só resta reconhecer a queda e não desanimar; levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima.

Parece irônico um colunista de um site chamado Tricolor On The Rock, usar os versos icônicos de um samba, mas são palavras que devem nortear a cabeça de toda a comissão técnica (mesmo duvidando que o nosso Uruguaio conheça estes versos) e da diretoria do Clube.

Aguirre, humildemente, reconheceu a queda. Não buscou bodes expiatórios. Fez o que dava, com 10 dias de trabalho, quase nenhum treino e um time, moralmente devastado. Com muitos desfalques, jogou com espirito aguerrido que caracteriza os uruguaios que abrilhantam tanto a nossa história. Vai ter quem disse que o time está defensivo até demais, e é verdade, mas como o mesmo disse, “o time vai se arrumar de Trás para frente”.

Que pese nossos desfalques ofensivos e má fase de outros jogadores, sabemos que nosso ataque está deixando muito a desejar. Se pensarmos que não tomar gol é um grande passo para a vitória, agora está faltando o fazer o gol da vitória.

Aguirre, ao que diz os rumores, pensa em jogar com 3 zagueiros. Vale duas ponderações: o nosso último grande sucesso foi com os 3 zagueiros e Aguirre, no seu período sem emprego, estagiou em muitos clubes que usam 3 zagueiros, sistema que voltou à tona graças aos recentes sucessos de Juventus e Chelsea, que mesmo com elencos inferiores, conseguiram bons resultados. Aguirre não lamentou o elenco até agora. Pelo contrário, o exaltou. Ele vem buscando alternativas para alinhar as táticas modernas a um jogo mais intenso, segundo palavras do mesmo.

Falta agora os resultados. Isso só vai chegar com as partidas, com a volta da confiança, com a melhora do sistema ofensivo. Mas como dizia nosso icônico técnico Muricy Ramalho “Aqui é trabalho! ”. E Aguirre parece compartilhar dessa ideia. Quieto, com calma e mostrando muita dedicação, vai aos poucos dando uma nova cara ao tricolor. O futuro dirá se isso tudo bastará para pôr o tricolor de volta nos trilhos das grandes conquistas, mas que o nosso treinador já vem mostrando que há motivos para a retomada da esperança, isso é inegável.

O “novo” primeiro passo para isso é na quinta feira, e um resultado positivo na argentina seria fundamental para a continuidade, com mais calma, do trabalho do treinador e para alavancar a confiança desse elenco.

Siga no twitter: @CFCeSPFC

Sobre Vitor Lima 7 Artigos
Vitor Lima é Professor de Geografia, estudante de Pós graduação em Economia e Finanças, 27 anos de amor ao tricolor.