A saga do 6-3-3: 12 anos depois novamente o “Rei da América”

 

 

Salve Nação tricolor e rock´n´roll

 

 

Continuando com saga do 6.3.3 hoje é díade falar da Libertadores de 2005. O time que tinha em seu elenco o M1to, Diego Lugano, a dupla Mineiro/Josué e os craques Amoroso e Luizão, conquistaram o título sob o comando de Paulo Autuori, que pegou um time montado por Emerson Leão, Campeão Paulista e que por sua vez herdou uma base preparada por Cuca, por isso eu acho que os méritos por fazer do São Paulo de volta ao cenário internacional após 12 anos deve ser dividido entre os três treinadores. Para conquistar a Liberta de 2005 o tricolor enfrentou na primeira fase Universidad de Chile, Quilmes (Argentina) e The Strongest (Bolívia) e terminou em primeiro lugar no grupo; Nas oitavas duas vitórias contra o Palmeiras; nas quartas uma vitória e uma derrota contra o Tigres do México, na semifinal duas vitórias contra o River Plate da Argentina e na final um empate em 1 X 1 e uma goleada 4 X 0 contra o Atlético-PR. O tricolor se sagrava o primeiro tri-campeão sul-americano entre os brasileiros.

 6-3-3 fundo branco

 

Copa Libertadores da América de 2005 foi a 46ª edição da Copa Libertadores da América. Equipes das dez associações sul-americanas mais o México participaram do torneio. O torneio teve início em 1 de fevereiro e encerrou-se em 14 de julho de 2005. Pela primeira vez a final envolveu duas equipes de um mesmo país, essas equipes eram brasileiras, sendo que o São Paulo conquistou o título pela terceira vez em sua história ao superar o Atlético Paranaense. Com o título da competição, o São Paulo disputou em dezembro a Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2005 e também a Recopa Sul-Americana de 2006 contra o campeão da Sul-Americana de 2005.

SaoPauloLibertadores2005

Ficha técnica do último jogo:

14.07.2005 – São Paulo (SP) – Estádio Cícero Pompeu de Toledo, Morumbi
SÃO PAULO Futebol Clube 4 X 0 Clube ATLÉTICO PARANAENSE

SPFC: Rogério Ceni (capitão); Fabão, Diego Lugano e Alex; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Junior (Fábio Santos, 40’/2); Amoroso (Diego Tardelli, 33’/2) e Luizão (Souza, 28’/2). Técnico: Paulo Autuori.
Gols: Amoroso, 16’/1; Fabão, 7’/2; Luizão, 25’/2; Diego Tardelli, 43’/2.

CAP: Diego; Jancarlos, Danilo, Durvão e Marcão (capitão) (Fernandinho, 15’/2); Cocito, André Rocha (Alan Bahia, 37’/2), Evandro e Fabrício; Lima (Rodrigo, 15’/2) e Aloísio. Técnico: Antônio Lopes.

Árbitro: Horacio Marcelo Elizondo (Argentina)
Assistente 1: Rodolfo Otero (Argentina)
Assistente 2: Juan Carlos Rebollo (Argentina)
Renda: R$ 3.026.395,00
Público: 71.986 pagantes

Em 2004 nasceu no São Paulo o sistema de jogo 3-5-2 que viria a ser muito vitorioso começando com a conquista da Libertadores em 2005, a qualidade dos alas Cicinho e  Junior somados à segurança e qualidade de uma das melhores duplas de volantes da história do clube, Mineiro e Josué; ajudou o time que tinha como zagueiros o guerreiro, mas pouto técnico Diego Lugano e os apenas razoáveis Fabão e Aléx. O tricolor, embora com algumas jogadores de qualidade questionável era muito bem treinado e  o sistema 3-5-2 deu tanto certo que o time passou a ser referencia no sistema entre os Brasileiros, o ultimo jogo foi emocionante com gols de Amoroso, Fabão, Luizão e Diego Tardelli, uma final que o tricolor transformou em um jogo fácil e já no inicio do segundo quando Fabão marcava o segundo, a certeza da vitória e do título tranquilizava os corações tricolores  que após longos 12 anos voltava a conquistar o título que a Nação Tricolor mais gosta. A América voltava a ser Tricolor

Vamos assistir ao jogo nessa bela narração de Galvão Bueno.

 

Um abraço a todos e até a próxima semana quando vamos lembrar do Tri-Mundial.


Guine

Siga no twitter
www.twitter.com/Guine_SPFC
Discussões e opiniões sobre futebol e sobre o Tri-Mundial.

Sobre Vagner Castro 410 Artigos
Vagner Castro, 46 anos, agente de viagens e idealizador/fundador do Tricolor On The Rock após passar por blogs como Lance Activo, Força Tricolor e Isto é SPFC. #AquiÉSãoPaulo SEMPRE.