THE BEATLES: White Album ganhará edição comemorativa

 

O “Álbum Branco” dos Beatles lançado em 1968 é considerado uma das obras-primas dos Fab-Four. Para comemorar seus 50 anos, o icônico disco receberá diversas edições especiais para agradar do fã mais casual ao mais ávido colecionador. Confira no vídeo abaixo:

A seguir, você confere o release oficial com o contexto histórico e a descrição detalhada dos formatos disponíveis nesse relançamento:

Em novembro de 1968, milhões de discos de vinil duplos foram enviados para o mundo todo para preparar as lojas para o maior evento musical daquele ano: o lançamento do álbum “The Beatles” (que se tornaria conhecido como “The White Album”), no dia 22 de novembro.

Com seu nono disco de estúdio, os Beatles levaram o mundo para uma nova viagem, com a abertura do lado A explodindo ao som de um avião a jato que antecede os vocais de Paul McCartney em “Back In The U.S.S.R.”. “Dear Prudence” é a próxima e tem John Lennon indicando calmamente para seu amigo – e para todos nós – que “olhe em volta”. George Harrison transmite uma sabedoria atemporal em “While My Guitar Gently Weeps”, ao cantar o verso With every mistake we must surely be learning (Com cada erro certamente estamos aprendendo). “Don’t Pass Me By”, de Ringo Starr, marcou sua primeira composição solo em um disco dos Beatles.

Por 50 anos, o “The White Album” tem convidado seus ouvintes a se aventurarem e explorarem a extensão e ambição de suas canções, maravilhando e inspirando cada nova geração. Em 9 de novembro, os Beatles lançarão uma coleção exuberante do “The White Album”. As 30 canções foram remixadas pelo produtor Giles Martin e pelo engenheiro musical Sam Okell, em som stereo e 5.1 surround, acompanhadas por 27 versões acústicas e 50 sessões de gravação, a maioria ainda desconhecida do público.

“Tínhamos deixado a banda de Sgt. Pepper’s para tocar no Elysian Fields e então seguimos novas direções sem rumo”, diz Paul McCartney em sua introdução para o novo lançamento do “The White Album”.

Esta é a primeira vez que “The BEATLES” (“The White Album”) foi remixado e apresenta faixas demo e sessões de gravação. A nova edição segue o aclamado relançamento da edição de aniversário de “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, de 2017.

Para criar os sons stereo e 5.1 surround para o “The White Album”, Martin e Okell trabalharam com um time de engenheiros especialistas e restauradores de som no renomado Abbey Road Studios, em Londres. A nova versão inclui o mix stereo de Martin, tirado diretamente das fitas de gravação de 4 e 8 canais. A mixagem de Martin foi guiada pelo mix original produzido por seu pai, George Martin.

“Ao remixar o ‘The White Album’, tentamos trazê-lo o mais próximo possível dos Beatles em estúdio”, explica Giles Martin em sua introdução para a nova edição. “Descascamos as camadas da Glass Onion (‘cebola de vidro’) com a esperança de inserir velhos e novos fãs em um dos mais diversos e inspiradores discos já feitos”.

Formatos disponíveis

Super Deluxe: 
A coleção de 7 discos e áudio digital inclui:
CDs 1 & 2: “The BEATLES” (‘The White Album‘) 
2018 stereo album mix
CD3: Esher Demos
– Faixas demo de Esher de 1 a 19 gravadas em ordem até a finalização da música que está no ‘The White Album’. Faixas de 20-27 não foram incluídas no disco.
CDs 4, 5 & 6: Sessões
– 50 gravações adicionais, a maioria inédita, das sessões de estúdio do ‘The White Album’; todas mixadas recentemente retiradas das fitas de 4 e 8 faixas, gravadas em ordem desde o primeiro dia de estúdio.

Blu-ray: 
– 2018 mix em alta resolução e PCM stereo
– 2018 DTS-HD Master Audio 5.1 mix
– 2018 Dolby True HD 5.1 mix
– 2018 diretamente transferido do áudio mono original do álbum

Deluxe: “The BEATLES” (‘The White Album’) 2018 mix stereo + Esher Demos
Box com 3 CDs; 180-gram 4LP vinil (versão limitada); e versão digital incluem 2018 mix stereo e 27 faixas demo Esher.

Standard 2LP Vinil: “The BEATLES” (‘The White Album’) 
2018 mix stereo.
180-gram 2LP vinil em embalagem especial replicada da arte original da capa.

A arte minimalista de ‘The White Album’ foi criada pelo artista Richard Hamilton, um dos principais envolvidos na criação e ascensão da pop art. O exterior todo branco traz as palavras “The BEATLES” em alto-relevo na frente e o número de catálogo do disco, na lateral. As primeiras edições do ‘The White Album’ também foram numeradas na frente, o que também foi feito para a versão Super Deluxe da nova edição. A versão com 6 CDs e Blu-ray vem em um pacote que contém um livro de 164 páginas, que reproduz a cor brilhante do disco original com fotos de John, Paul, George e Ringo, além do poster com uma colagem de fotos em um lado e as letras das músicas escritas à mão do outro, fotos nunca antes publicadas, partituras e caixas de fitas, além de reproduções dos anúncios originais do ‘The White Album’. As partes escritas do livro incluem apresentações de Paul McCartney e Giles Martin, e livros que explicam profundamente os detalhes das faixas e das sessões, refletindo o ano dos Beatles entre o lançamento de “Sgt. Pepper´s” e as gravações do ‘The White Album’, o photoshoot da banda, em julho de 1968, em locações de Londres, a capa do disco, os preparativos e execução do lançamento mundial do álbum e sua longa influência, escritos pelo historiador especialista em Beatles, autor e produtor de rádio, Kevin Howlett; pelo jornalista e autor John Harris; e por Andrew Wilson, curador sênior de arte moderna e contemporânea da Tate Britain.

O Deluxe de 3 CDs é apresentado em uma capa com o pôster e alguns retratos, além de um booklet de 24 páginas retiradas do livro contido na versão Super Deluxe.

Apresentado com um booklet de 4 páginas, a edição limitada com 4 discos de vinil, contém o disco em 2 LPs, como uma reprodução fiel do original, acompanhado do pôster e fotos, e 2 LPs que contém as demos Esher.

Muito da composição para o ‘The White Album’ foi feita em Rishikesh, na Índia, de fevereiro a abril de 1968, quando John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr iniciaram um curso na Academia Maharishi de Meditação Transcendental. Em um cartão postal para Ringo, que havia retornado para a Inglaterra antes dos outros, John escreveu: “Temos algo como dois discos prontos agora, então pegue sua bateria”.

Durante a última semana de maio, os Beatles se reuniram na casa de George, em Esher, Surrey, onde tocaram 27 músicas acusticamente. Conhecida depois como Esher Demos, as 27 faixas foram incluídas nas novas edições Deluxe e Super Deluxe, retiradas da fita original de quatro faixas. Vinte e uma das músicas demo foram gravadas durante as sessões de estúdio e 19 foram incluídas no ‘The White Album’.

As sessões de estúdio para o “The BEATLES” (‘The White Album’) começaram em 30 de maio de 1968, no Abbey Road Studios. Nas 20 semanas que seguiram, os Beatles dedicaram a maior parte do tempo em sessões no estúdio para o álbum, com algumas gravações feitas também no Trident Studios. A sessão final para o disco aconteceu no dia 16 de outubro, na Abbey Road, em uma maratona de 24 horas com o produtor George Martin para escolher a sequência de músicas dos 4 lados dos discos e para completar a edição das transições entre as faixas.

A abordagem dos Beatles para gravarem o ‘The White Album’ foi bastante diferente da adotada para “Sgt. Pepper´s”. Ao invés de acrescentarem as partes separadamente em uma fita de varias faixas, muitas das sessões do ‘The White Album’ foram gravadas em grupo com um vocal principal em fitas de 4 ou 8 faixas. Os Beatles normalmente gravavam tomada após de tomada para uma música, como está evidenciado na tomada 102 de “Not Guilty”, no Super Deluxe, uma música que não foi incluída no disco. Este estilo de gravação ao vivo resultou em uma estrutura elaborada, mais descontrolada para o disco, que mudaria o rumo do rock e abriria espaço para o punk e indie rock.

O método de gravação recém adotado dos Beatles, de virar a noite no estúdio, foi exaustivo para o produtor George Martin. Martin tinha outros afazeres, incluindo gerenciar a AIR (Associated Independent Recording), e ele também havia composto a trilha orquestrada para o filme de animação dos Beatles, “Yellow Submarine”, lançado em 1968. Após três meses de sessões com o ‘The White Album’, Martin tirou três semanas de férias do estúdio, confiando sua sala de controles para seu jovem assistente Chris Thomas e para o engenheiro Ken Scott. Este último, havia ficado no lugar do engenheiro Geoff Emerick, que saiu das sessões em julho. Em 22 de agosto, Ringo Starr também deixou as sessões, retornando 11 dias após para encontrar sua bateria envolta em flores. Mesmo que os 4 meses e meio de gravações tenham causado desentendimentos aqui e ali, os resultados revelam o quão próximos e amigos os integrantes da banda eram, e como suas forças se completavam, assim como com George Martin.

“The BEATLES” (‘The White Album’) foi o primeiro disco dos Beatles a ser lançado por sua própria gravadora, a Apple Records Label. Lançado em stereo e mono no Reino Unido e em stereo unware (?) nos Estados Unidos, o disco duplo imediatamente se tornou um fenômeno de vendas, entrando no chart britânico em 1º lugar e ficando lá durante 8 das 22 semanas em que apareceu na parada. ‘The White Album’ também estreou em primeiro lugar nos Estados Unidos e manteve a posição por 9 das 65 semanas em que esteve no chart. Em sua ótima crítica para a revista Rolling Stone, o cofundador da publicação, Jann Wenner, declarou: “É o melhor disco que eles já lançaram, e somente os Beatles são capazes de fazer algo ainda melhor”. Nos Estados Unidos, o ‘The White Album’ recebeu o certificado de Platina 19 vezes e o disco de diamante, marca de 10 milhões de cópias vendidas.. No ano 2000, ele foi colocado no Hall da Fama do GRAMMY®, reconhecido como “gravações de qualidade interminável e significância histórica”.

Fonte: Portal Beatles Brasil

Sobre Jean Miranda 940 Artigos
Formado em Letras, professor de Inglês, compositor amador. Rock’n’Roll na alma, Tricolor no Coração. Blogueiro por ‘necessidade’, mantém o blog ‘Na Mira: Futebol & Rock’n’Roll’